AutoMotor

S10 Flex automática traz conforto com proporções maiores

Modelo tem cabine agradável como um carro de passeio, mesmo sendo uma picapeA Chevrolet dotou recentemente sua S10 flex com câmbio automático de seis velocidades. Fomos rodar com a picape média durante uma semana para avaliar o comportamento: o veículo se saiu bem, com trocas de marcha realizadas em momentos apropriados, bom gerenciamento na hora de subir uma ladeira, além de suavidade em tais passagens. Nosso exemplar era uma LTZ 4×4, cor cinza grafite metálica que custa R$ 131.640, segundo configurador oficial da GM na internet.S10 Flex automática tem cabine agradável como um carro de passeio, mesmo sendo uma picapeFoto: DivulgaçãoO câmbio se comunica muito bem com o motor 2.5 flex de injeção direta de combustível, que entrega 206 cv de potência e 27,3 kgfm de torque, tanto em situações urbanas quanto na estrada. Há a opção para troca sequencial por meio da alavanca, mas não há borboletas no volante, ainda incomum no segmento. O desenvolvimento da picape, contudo, é tão sereno que convém deixar em ‘D’ e rodar. Quando há necessidade de aceleração rápida — aquela pisada forte no acelerador — o sistema responde bem e entrega a necessidade que o motorista precisa.Picape tem desenvolvimento serenoFoto: DivulgaçãoConsiderando seu porte, não há como pressupor consumo de combustível páreo com carros pequenos. Ainda assim, a S10 Flex AT possui nota máxima no programa de classificação do Inmetro. Segundo medições do órgão, em 4×2, a picape consome com etanol até 5,3 km/l na cidade (uau!) e 6,4 km/l na estrada. Com gasolina, os números são 7,9 e 9,4 km/l, respectivamente (números similares ao da versão manual). É, companheiros, não bate nem 10 km/l. Não é para qualquer um. Nosso exemplar estava abastecido com etanol, o teste foi predominantemente urbano, com um resquício de estrada, e o computador de bordo fixou em 6 km/l, vide foto.O carro possui classificação máxima em consumo de combustívelFoto: DivulgaçãoPRAZER EM DIRIGIRO grande barato desta nova geração da S10 é o ambiente agradável na cabine. O carro evoluiu demais ante seus antigos representantes neste quesito. Não estamos mais diante de uma ‘caminhoete/camioneta’, por mais que ela ainda siga assim reconhecida pela legislação.O conforto é outro. Não é mais aquele veículo que chacoalha demais, aquela carroceria que parece brinquedo de parque de diversão. É harmônico para quem está viajando enquanto abaixo pneus (excelentes Bridgestone, por sinal), coxins e suspensão vão dando conta dos desafios. A picape é sagaz nas curvas, demonstrando segurança de carro de passeio para tal, mesmo com porte de longe maior.Na era de direção elétrica, não dá mais pra vender a ideia da dificuldade em manobrar ou fazer conversões — a ‘monstra’ tá na mão.TECNOLOGIA NO VOLANTEVárias tecnologias estão ao alcance para facilitar o controle desta picape, afastando boa parte dos receios que porventura podem surgir: os alertas de colisão frontal e de saída de faixa monitoram eventuais distrações do motorista; os controles de estabilidade e tração atuam para mantê-lo na trajetória e sem derrapar; o assistente de partida em rampa é ainda mais apropriado aqui, em um veículo deste porte; e a câmera de ré com sensor sonoro de estacionamento não vai causar preocupações nem naquela vaga apertadíssima do shopping.Bem, dá para pensar que estas evoluções numa picape vêm da demanda, há quem compre estes carros para andar na cidade, sem talvez nunca acionar o 4×4. A sua posição alta de dirigir, por exemplo, é vantajosa ante ao trânsito. Mas não dá para negar que dentre os seus propósitos, como veículo, não está a agilidade e o desempenho — apesar do 0 a 100 km/h em 9,5 segundos, muito bom considerando seu porte. Existem outros segmentos mais apropriados para isso. Sua robustez, contudo, encanta bem e, junto com os outros predicados citados, a S10 vai tomando partido em guetos que antes não eram seus.LISTA DE EQUIPAMENTOSAlém dos já citados, a S10 LTZ flex AT possui LEDs diurnos, banco do motorista com regulagem elétrica, partida remota pela chave que permite a climatização antecipada da cabine, central multimídia com navegação e câmera de ré embutida, além do serviço de telemática exclusivo da Chevrolet, o On Star. Sem contar que, apesar do nosso teste ter ocorrido na cidade, é uma 4×4, que permite que você deixe a civilização e vá se divertir fora dela.Na arena de concorrentes, faz seu trabalho para alcançar a Toyota Hilux, líder do mercado, que também é composto por Volkswagen Amarok, Ford Ranger, Nissan Frontier, Mitsubishi L 200 Triton, sem contar a Fiat Toro, que apesar de menor porte, tem causado maiores preocupações ao segmento das médias.

More AutoMotor

Mercedes-Benz Classe C Sport é topo de linha no mercado nacional

Modelo é a nova versão mais sofisticada de sedãs médios e custa R$ 241.900Modelo custa R%24241.900Foto: DivulgaçãoO Mercedes-Benz Classe C está com uma nova versão para ocupar o posto de topo de linha no mercado brasileiro, a C 300 Sport. Aqui, o motor que equipa o sedã é um 2.0 turbo com injeção direta, que despeja 245 cv de potência e 37,72 kgfm de torque. Mas a maior das novidades é a transmissão: automática sequencial de nove velocidades, que passa a integrar todo o catálogo do modelo. Custa R$ 241.900.No C 300 Sport, a aceleração de 0 a 100 km/h acontece em apenas 5,9 segundos e a velocidade máxima atingida é de 250 km/h, limitada por gerenciador eletrônico. A nova transmissão, batizada de 9G-TRONIC, possui um conversor de torque hidrodinâmico e sua concepção permite uma redução no consumo de combustível de até 4,5% (dependendo das condições de uso e modo de dirigir), segundo a fabricante alemãModelo vai de 0 a 100km/h em 5%2C9 segFoto: DivulgaçãoAinda na dirigibilidade, o motorista pode optar por três programações de direção (Comfort, Sport e Sport+), que permitem pré-selecionar as características das trocas de marchas ou ainda realizá-las por meio das borboletas posicionadas no volante. Quando em modo esportivo, o câmbio pode saltar marchas nas reduções de velocidade, indo da 5ª para 3ª velocidade, por exemplo.Ele vai até 250 km/hFoto: DivulgaçãoNo sistema de suspensão, ajustes para proporcionar um perfil mais esportivo, com reações mais ágeis e diretas. Na frente, age um eixo com quatro braços e atrás atua um modelo independente, com cinco braços.Para defender seu título do esportivo, tal versão do sedã premium recebeu os devidos equipamentos. Visualmente, ele é adornado com o pacote ‘AMG Line’ e o ‘Night’, que dá a retrovisores, frisos de para-choques e grade frontal acabamento em preto. As rodas são AMG de 18 polegadas de cinco raios e fundo em preto brilhante.As rodas são AMG de 18 polegadas de cinco raios e fundo em preto brilhante.Foto: DivulgaçãoO toque de classe fica para um comando chamado de ‘Dynamic Select’: ele permite selecionar o som predominante no habitáculo, entre a prioridade para a música em meio ao ambiente urbano ou o ronco do motor de 245 cv durante uma pegada esportiva.O Mercedes-Benz C 300 Sport dispõe de equipamentos como faróis full LED, ajustes eletrônicos de banco com memória para motorista e passageiro, função liga/desliga do motor para paradas breves, além de assistências eletrônicas diversas: controle de estabilidade com atenção especial para curvas, por meio do reconhecimento da necessidade de equilíbrio de forças nas rodas, distribuindo a tração via diferencial para as rodas de fora; auxílio para ventos transversais, que detecta golpes de vento súbitos e fortes que poderiam influenciar na trajetória do veículo e ajuda a evitar que ele seja empurrado para os lados, aplicando de forma seletiva os freios nas rodas do lado em que há ação do vento sem perder velocidade, recurso que também atua ao cruzar pontes altas ou na ultrapassagem de veículos mais pesados; o detector de fadiga, que utiliza mais de 40 parâmetros de reconhecimento e detecta quando o motorista demonstra sinais de fadiga ao volante, alertando-o por meio de sinais sonoros e visuais, além de sugerir uma pausa para descanso.Ele é produzido no Brasil desde março de 2016Foto: DivulgaçãoPara auxiliar na frenagem, há o pré-carregamento dos freios, que ao tirar o pé do acelerador repentinamente, o condutor pode contar com a ação que mantém as pastilhas dos freios automaticamente em contato com o disco, de modo que a distância de frenagem seja diminuída. Há também sistema de secagem dos freios, que em condições de pista molhada diminui a umidade dos discos de freio em intervalos regulares. Assim, a potência de frenagem fica disponível.Ele é lider de vendas da marcaFoto: DivulgaçãoMERCADOO Mercedes-Benz Classe C é produzido no Brasil desde março do ano passado, na fábrica de Iracemápolis, interior de São Paulo. O sedã é líder em vendas dentro do seu segmento no país, sedãs premium, e também o mais vendido da marca aqui. Nos primeiros quatro meses deste ano, foram vendidas 915 unidades do Classe C no mercado brasileiro.

AutoMotor Archives

Nissan Kicks passa a ser fabricado no Rio
Carro, que era importado do México, passou a ser produzido numa fábrica em Resende, interior do RioEle será fabricado em Resende, interior do RioFoto: DivulgaçãoHá quase um ano sendo importado ...
WR-V é eficiente. Mas caro demais
Versão EXL CVT do Honda teve bom desempenho. Mas não vale o preço cobrado, acima dos R$ 80 milSeja um derivado do Fit ou não, a Honda acerta com o ...
BMW lança no Brasil a nova R 1200 GS
Motocicleta manteve as mesmas dimensões e motor, mas está com visual atualizado e novos equipamentosA BMW lança no Brasil a nova R 1200 GS, modelo mais vendido da marca no ...
Hyundai Santa Fe cruza a Antártida
Utilitário esportivo encara expedição pelo continente gelado para relembrar histórica viagem de aventureiroOs SUVs da Hyundai foram os primeiros carros de passeio a atravessar o continente da Antártica, desde Union ...
Novo Up! é atual, mas ainda caro
Subcompacto da Volkswagen apresenta poucas novidades e tem preços a partir de R$ 39.900Em sua primeira atualização, três anos após o lançamento, o Up! continua sendo um ótimo carro na ...
Jaguar F-Type estreia motor 2.0 litros
Propulsor de quatro cilindros é opção econômica para o esportivo. Não há previsão do seu lançamento no BrasilO esportivo Jaguar F-Type estreia um novo motor entre as suas configurações: o ...
Carros importados estão em queda
Abeifa, associação do setor, atribui desempenho ruim ao IPI para modelos sem montagem no Brasil, aumentando preços As 18 marcas filiadas à Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos ...
O superesportivo ‘Fittipaldi EF7 Vision’ custara cerca de R$ 4,7 milhões
Serão fabricados 39 superesportivos EF7, em alusão às vitórias do ex-piloto brasileiro na Fórmula-1Apresentado ao público em março durante o Salão de Genebra, o superesportivo Fittipaldi EF7 Vision aguarda apenas ...

Próxima página »