‘Amizade verdadeira’, sinais para seguir ou para fugir da relação

26th agosto 2016   ·   0 Comments

Amigos podem fazer muito bem, mas outros podem até prejudicar. Psicóloga fala quais os sinais de uma amizade verdade e quando ligar o alerta

Uma bela amizade – daquelas de infância e levada para toda a vida ou aquela recente, mas que teve uma identificação desde o começo – faz muito bem. A amizade verdadeira, não importa o tipo, tem esse poder. Entretanto, em alguns momentos, a relação pode ser perder e até virar prejudicial.

Uma amizade verdadeira tem sentimentos mútuos e faz bem

Uma amizade verdadeira tem sentimentos mútuos e faz bem

Foto: Thinkstock Photos

Você sabe identificar uma amizade verdadeira? E sabe qual o momento de ligar o alerta se a relação criar uma situação prejudicial? A psicóloga Sonia Regina de Araújo fala quais são os sinais para identificar as duas situações.

Quando a amizade é para valer

O primeiro ponto listado por Sonia é saber reconhecer um amigo. “É aquele com quem você se identifica. Não há medo ou competição entre vocês. É aquela pessoa para quem você entrega suas confidências e seus sentimentos”, exemplifica.

Um sinal de que a relação é saudável, segundo a psicóloga, é que nela você se sente bem e protegido. Há respeito. “Dizem que quem tem um grande amigo sente-se feliz e essa alegria libera endorfina, um hormônio que dá sensação de prazer”, comenta.

E o tempo pode ficar irrelevante. A amizade verdadeira pode ser aquela que começou nos primeiros anos da escola ou a mais recente. O importante por aqui é ter o sentimento mútuo. Além de confiar e se identificar com seu amigo, como ressaltou Sonia, é fundamental que ele também se comporte assim com você. Esse é um dos segredos da amizade duradoura.

Série 'Friends' mostra exemplos de amizades verdadeiras e longas

Série ‘Friends’ mostra exemplos de amizades verdadeiras e longas

Foto: Reprodução

A autoestima é mais um fator que influencia em uma relação saudável. De acordo com Sonia, que tem boa autoestima não vai depender do outro e, sim, dividir com ele. “Quando vira uma relação de dependência, e não mais de troca, não é mais uma amizade verdadeira”, resume.

Sinais de alerta na amizade

Às vezes, a amizade pode, digamos, passar do ponto. Por exemplo, o bom amigo dá um conselho e não decide a vida do outro. “Uma coisa é falar ‘olha, esse caminho não é legal para você’. Outra é mandar você agir de tal maneira. Isso é invadir o modo de ser do outro e não é saudável”, alerta Sonia.

A psicóloga ainda cita outros exemplos de uma amizade que pode se tornar tóxica. “Você se entregou tanto e não percebe a diferença do outro. Está tão encantado que não vê os defeitos, só as qualidade”. Ela ainda completa: “Quando aparece um defeito, isso é visto como uma grande traição”. Aqui voltamos à questão da autoestima. A baixa autoestima leva a esse tipo de comportamento.

Alguns sinais de que há algo de errado são: inveja, interferências no modo de ser, medo ou tentar levar alguma vantagem. “Se sentir alguma coisa assim, ligue as anteninhas”, diz Sonia.

Brigar não é o problema

“Amigos também brigam. Uma discussão pode ser boa, significa que cada um tem sua opinião e está a defendendo. Eles vão dialogar, dividir opiniões e continuar amigos”, afirma a psicóloga.

Na amizade verdadeira, um reconhece o pontos positivos e os negativos do outro. O que for positivo, pode ser seguido e até servir como exemplo. E o que for considerado negativo, será respeitado, afinal, todo mundo tem suas particularidades.

Readers Comments (0)