Musa da música caipira, Bruna Viola lança novo CD

13th outubro 2015   ·   0 Comments

Alta e muito bonita, a violeira cuiabana já foi modelo ‘por um dia’ e toca desde os onze anos de idade

Rio – Violeira, bonita, novinha (22 anos) e alta (1m71), Bruna Viola poderia virar atriz de novela ou modelo. Mas gosta mesmo é da viola e das coisas do sertão. “Até dei uma de modelo num evento beneficente que fiz na minha cidade (Cuiabá, MS), foi uma vez só. Comecei a tocar viola caipira aos onze anos e nunca mais larguei”, diz Bruna, que lança o terceiro CD, ‘Sem Fronteiras’, pela Universal, após dois independentes.

Bruna Viola vai do sertanejo universitário ao tradicional

Bruna Viola vai do sertanejo universitário ao tradicional

Foto: Divulgação / Hélio Neto

Bruna é fã da música de raiz que ouvia na fazenda do bisavô. E fez diversas aparições no programa ‘Viola, Minha Viola’, de Inezita Barroso (1925-2015), grande defensora da tradição caipira. “Ela era bacana demais. Era a rainha da música caipira”, lembra. Mas nada de separação entre “caipiras” e “sertanejos”, porque ela ouve de tudo. “Os eventos acabam separando, né? Nos encontros de violeiros chamam o pessoal mais ‘raiz’, e nas exposições é o pessoal mais universitário. Só que um lado sempre defende o outro”, conta ela, que tem Cesar Menotti e Fabiano no CD em ‘Se Você Voltar’, de César e Fátima Leão.

“O disco tem sons mais românticos. Mas tem moda de viola, instrumentais”, diz ela, que trouxe duas músicas feitas por uma fã, a mineira Fernanda Calazans, ‘Derramando Saudade’ e ‘Melodias do Sertão’. Na primeira, Bruna assina como parceira. “A música foi feita a partir de hashtags que eu publicava no Instagram durante as viagens”, conta.

Uma surpresa é a regravação de uma música pouco conhecida do repertório de Raul Seixas, ‘Minha Viola’, composta pelo pai do roqueiro, Raul Varella Seixas. “Estava pesquisando música de viola no YouTube e achei essa. Pensei: ‘Mas o Raul nem tocava viola!’ Fui ouvir e achei a letra linda”.

Sempre com chapéu de caubói, Bruna — que saiu da terra natal e hoje mora sozinha em Ribeirão Preto (SP) — ganha muitos elogios dos fãs. Pessoalmente e pelos seus canais em redes sociais. “Me chamam de Flor Matogrossense, Diva da Viola… Adoro esse carinho”, conta a violeira, que está solteira. “Não quero saber de namoro, não. Quero é curtir com as amigas”, brinca.

Readers Comments (0)