As crianças precisam mesmo de leite?

20th abril 2015   ·   0 Comments

Pat Feldman

Crescemos em uma cultura que nos ensina que o leite é um alimento fundamental para o crescimento saudável das crianças. Mas será que elas precisam tanto assim da bebida?

Os leites mais comuns usados para o consumo humano são o de vaca, de cabra e leite de ovelha. Outras culturas consomem a bebida de outras fêmeas mamíferas. Isso é um hábito muito antigo, muito comum e muito enraizado em diversas culturas a partir do momento em que o homem passou a domesticar alguns animais.

A primeira e mais importante observação: o leite consumido hoje, aquele comprado no supermercado em caixinhas longa vida, em pó ou em garrafinhas, é um produto alimentício muito diferente daquele leitinho morno recém-saído da vaca.

O leite encontrado no mercado é um produto alimentício altamente processado e totalmente desnaturado, com sua estrutura original completamente alterada. Desconfio muito que esta seja a razão principal para tantos casos de alergias e intolerância ao leite.

As mães são ensinadas que seus filhos devem tomar leite – primeiro o materno e depois, na falta desse, fórmulas lácteas, que de leite não têm muita coisa além da cor branca. Leite de vaca era coisa de antigamente, não se recomenda mais. As pessoas que aderem a uma alimentação mais “alternativa” ou as que são alérgicas/intolerantes podem optar por leite de cabra ou leites vegetais completamente artificiais (esses últimos, na minha opinião, os piores porque nem gostosos são).

Qual a razão para tanto apreço por essa bebida afinal de contas? Pelo que escuto por aí, a maior preocupação é o cálcio, que faz bem aos ossos e deve estar presente numa quantidade mínima em toda alimentação saudável.

E se eu te contar que apesar do leite realmente ser um alimento rico em cálcio a substância quase não é bem aproveitada pelo nosso organismo? E se eu te contar que todo esse cálcio do leite quase não vai para os ossos e pode até acabar no lugar errado formando, por exemplo, os desagradáveis e doloridos cálculos renais?

Image c186w2arz83j46l3z50ybmuyl.jpg

A questão é que não basta um alimento ser rico nessa ou naquela substância se a tal não é absorvida pelo organismo da forma necessária. E para que isso aconteça normalmente é necessário uma “substância colaboradora”, para auxiliar nessa tarefa. No caso do ferro (carnes e feijão, por exemplo), consumir frutas cítricas, ricas em vitamina C, ajuda na absorção dele no nosso organismo. No caso do cálcio, para que ele seja bem aproveitado, é necessária a ajuda do magnésio, e isso o leite não tem!

Leite cru

Se você ou seus filhos não têm nenhum tipo de alergia ou intolerância, consuma leite porque gosta e em quantidades moderadas, mas não espere inúmeros benefícios.

O ideal seria consumirmos o leite cru, recém-saído da vaca, lotado de enzimas benéficas, cheio de lactobacilos e com suas gorduras preservadas, mas, para isso, só tendo uma vaca no quintal, já que o comércio de leite cru é proibido no Brasil.

Dê preferência ao consumo de derivados fermentados do leite, como iogurte, queijos e coalhadas. O leite fermentado, seja qual for a forma, em geral é de mais fácil digestão que o leite em sua forma natural e ainda oferece probióticos “de brinde”, que são fundamentais para a imunidade e a boa saúde intestinal.

* Pat Feldman é culinarista e criadora do Projeto Crianças na Cozinha, que traz receitas infantis saudáveis, saborosas e livre de industrializados. É também autora do livro de receitas “A Dor de Cabeça Morre Pela Boca”, escrito em parceria com seu marido, o médico Alexandre Feldman. Na coluna “Cozinha com Crianças”, ela fala quinzenalmente sobre gastronomia infantil.

Envie dúvidas e sugestões para ;criancasnacozinha@gmail.com

Readers Comments (0)